Clipping pessoal de entrevistas e citações na mídia relacionadas ao campo da pesquisa.

OneZero – Tech Firms Struggle to Balance Privacy With Security – 14/10/2019

“We have a level of surveillance never seen before, and this new surveillance is blind,” says João Carlos Caribé, a researcher for the Digital Humanities Network Laboratory at the Brazilian Institute of Information in Science and Technology. “It is no longer focused on the individual as in the model consolidated in the 20th century, but is all about data. The panspectron model captures all possible data, even the so-called residual data, read from the interactions of individuals.”

Yahoo Noticias – Big Data, marketing, manifestoches e militontos – 03/09/2018

A gente está indo para uma realidade bem esquisita.

A frase é do pesquisador do Laboratório em Rede de Humanidades Digitais do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT),  João Carlos Caribé, 54, e resume bem as potenciais aplicações do Big Data na vida das pessoas.  O termo se refere basicamente ao imenso volume de dados gerados pelas pessoas nos últimos anos. Qualquer rastro digital deixado em alguma interação no Facebook e no Twitter. Ou cada vez que você usa o aplicativo do banco, de transporte. Cada foto publicada no Instagram. Tudo é dado. Tudo é Big Data.

Agência Brasil – Tecnologias de Reconhecimento Facial se Popularizam e Levantam o Debate – 21/07/2018

Replicada em Isto é em 21/07/2018

Na avaliação do pesquisador do Laboratório de Humanidades Digitais do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, João Carlos Caribé, o tema é complexo, pois por trás de possíveis benefícios há riscos da adoção desse tipo de recurso.

“Pode ser ótimo para segurança pública na busca por pessoas desaparecidas e criminosos foragidos, ou ainda para a identificação de criminosos em flagrante ilícito, mas é preciso transparência e prestação de contas neste processo, para não se tornar uma ferramenta de controle e perseguição”, alertou.

Agência Brasil – Facebook veiculará programas jornalísticos em serviço de vídeo – 09/06/2018

Na avaliação do pesquisador do Programa de Pós-Graduação do Departamento de Ciências da Informação da Universidade Federal do Rio de Janeiro João Carlos Caribé, a iniciativa dará mais poder à plataforma, que já tem mais de 2 bilhões de usuários, e pode ter efeitos importantes sobre o debate público.

“O Facebook faz um movimento de trazer para dentro de si cada vez mais tipos de serviços, agora a produção noticiosa. Como a companhia tem acesso a dados dos usuários, isso pode ser usado para a elaboração de notícias e personalizar os conteúdos, o que pode estimular as chamadas bolhas ideológicas”, disse.

%d blogueiros gostam disto: