Print Friendly, PDF & Email

Coloque na agenda 29/10 às 19h

Tem se tornado comum ver crianças nos shoppings e restaurantes com tablets e smartphones, há até carrinhos de criança com suportes para estes dispositivos. Com que idade podemos deixar a criança utilizar a tecnologia?

Quais as implicações do uso prematuro? É saudável deixar as crianças, sem supervisão, com seus dispositivos tecnológicos?

O que precisamos saber dos jogos que “escravizam” as crianças e adolescentes, como Among Us, Fall Guys e até o tão falado Baleia Azul?

A tecnologia provoca dependência? Seu uso prematuro afeta o desenvolvimento da criança? E o desenvolvimento social do adolescente?

O que devemos observar na relação das crianças e adolescentes com a tecnologia durante este longo isolamento social?

Para responder a estas e outras perguntas, convidei a Sylvia van Enck, Psicóloga do Núcleo de Dependências Tecnológicas e de Internet do programa Ambulatorial Integrado dos Transtornos do Impulso (PRO-AMITI) – https://dependenciadeinternet.com.br/

Sylvia van Enck

Sylvia van Enck

Psicóloga com especialização em Terapia Familiar e de Casal pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP); Terapeuta Comunitária pela Universidade Federal do Ceará (UFC); Mestre em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo (USP). Psicóloga do Núcleo de Dependências Tecnológicas e de Internet do Programa Ambulatorial Integrado dos Transtornos do Impulso (PRO-AMITI) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas/FMUSP desde 2007. Professora convidada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, no Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em “Psicoterapia , Orientação e Mediação Familiar”. Experiência clínica de quase 40 anos na condução de psicoterapia e supervisão de outros profissionais.

Projeto Dependência de Internet

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/6062518678437834

Assista a live aqui mesmo

Assista a live aqui mesmo, ou se preferir no Youtube.


João Carlos Rebello Caribé

Mestre em Ciência da Informação pela UFRJ/PPGCI. Formado em Publicidade e Propaganda pela Estácio de Sá. Membro do Laboratório em Rede de Humanidades Digitais (LarHud) e do Estudos Críticos em Informação, Tecnologia e Organização Social (Escritos).

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.